NATURISMO E AS EMOÇÕES

Voltar

Há alguns dias recebi do amigo Edson Medeiros um vídeo onde o John Lennon da Silva interpretava com a sua dança a agonia da morte de um cisne. Resolvi encaminhar para algumas pessoas do meu contato. Para minha surpresa recebi diversas respostas de amigos que se sentiram emocionados. O amigo Augusto Avlis até escreveu um texto que cuidei logo de preservá-lo no meu blog. Todos nós ficamos sensibilizados, por meio da dança imaginando a agonia do cisne na luta pela vida.

Nossas emoções surgem quando imaginamos, ou melhor, pensamos. É pelo pensamento que controlamos nossas emoções, mas se pararmos para refletir sobre o ambiente em que estamos vivendo, podemos observar que as pessoas ficaram sem tempo, compromissos demais não nos deixam parar para contemplar a importância das pequenas coisas ou pequenos gestos. Toda essa correria favorece a um sistema que proporciona o stress e ansiedade para conquista de bens materiais. Estamos literalmente num cárcere que nós mesmos criamos porque não temos tempo para observar nossos pensamentos, muito menos em compartilhar as emoções.

Com certa frequência tenho dito para alguns amigos e parentes que "sou mais jovem do que muitos jovens", até hoje achava que era somente por causa da forma como eu pensava da vida, do corpo. Agora reconheço que é uma meia-verdade, o que é refletido por meio das emoções é que não me deixa envelhecer. Augusto Cury em seu livro "Treinando a emoção para ser feliz" alerta: "A paranoia da estética também tem esmagado o prazer das pessoas, principalmente dos jovens. Muitas jovens, incluindo modelos, têm tido um envelhecimento precoce da emoção. Elas são tão jovens por fora, mas tão envelhecidas por dentro. Quem super dimensiona cada curva do seu corpo e cada grama de peso perde a singeleza e a espontaneidade da vida e torna-se cronicamente insatisfeito e autopunitivo. Não podemos ser felizes se valorizamos mais a embalagem do que o conteúdo. Os jovens e adultos precisam se rebelar contra esse paradigma".

Mas nisso o Naturismo tem demonstrado a sua eficácia, despojando das vestes jogamos para fora nossas preocupações excessivas com as formas corporais e a exposição do psíquico torna-se mais fácil. Estou dizendo mais fácil porque os preconceitos não podem existir na filosofia naturista e se o indivíduo ainda reconhece que os têm deve ser observado os seus pensamentos.

Até meus amigos naturistas são diferentes daqueles que convivo socialmente, encontro mais aberturas para falar de assuntos polêmicos da vida com os naturistas, e assim vejo também nos demais companheiros. Mas até mesmo entre os naturistas existem assuntos intocáveis do tipo política e principalmente crenças. Não deveria ser assim, mas é.

Não concordo com tudo que o Augusto Cury diz, principalmente quando ele coloca Deus nas emoções. Ora, temos no mundo em torno de 300 religiões e algumas sem a figura de Deus, por exemplo, o Budismo. No entanto as emoções também prevalecem para esses seguidores, não é algo que se faça divisão naquilo que se acredita ou não, faz parte da nossa natureza. E é exatamente por isso que o Naturismo não faz distinção nesse aspecto. As verdades naturais fazem parte do homem tanto aqui quanto do outro lado do mundo, sem nenhum tipo de segregação.

Se for o pensamento que estimula a emoção, devemos trabalhar a forma com que pensamos a respeito de tudo e o lugar ideal é exatamente onde existe atualmente o caos, nas escolas. A educação tem um papel fundamental nesse processo, mas deve ser reformulada para criar adultos pensantes e questionadores, no momento, estamos formando meros repetidores. O fantasma das provas, diga-se de passagem, não mede conhecimento algum, e os relacionamentos entre alunos e professores devem ser modificados para troca de informações das suas respectivas emoções. Não é isso que temos visto, ao contrário temos tido uma educação formal e alunos tímidos até mesmo para questionar qualquer coisa. Alguma dúvida? Ninguém levanta o braço.

A timidez se perde com a prática do Naturismo e passamos a ver as nossas limitações com mais naturalidade, por isso ainda digo: Naturismo é uma alternativa para uma vida transformadora.

Evandro Telles

08/07/12

Voltar